quinta-feira, 30 de junho de 2011

Arraiá do Congado 13 de Maio e Aniversário do Chacha

A rainha Sá Isabel e todo reino do 13 de maio, em companhia do Rafa Chacha, convidam para festença junina da casa e para comemoração de aniversário do moço!

Vai ser dia 02 de julho, sábado, a partir das 16hs! Vai ter barraquinhas, comida típica preparada no fogão à lenha e várias biritas pra esquentar o frio...

Venha à carater para participar da grande quadrilha!!!

Entrada: R$5,00

Apresentações:

Trio Café Pingado

Urucum na Cara

Girau

República S.A

Djs Cenoura, Guto Lovers e Alexandre de Sena

Dia: 2 de julho (sábado)

Hora: 16:00

Local: Guarda de Nossa Senhora do Rosário 13 de Maio - Terreiro da Rainha Isabel – Rua Jataí - 1309 / Concórdia (Próximo à Igraje Nossa Senhora das Graças)

Toque Musical - 4 anos!

Mucuryanos,

Vale muito a pena dar um pulo diário lá no Toque Musical! É um grande parceiro em nossa radioweb!

Com quatro anos de trabalho o blog nos oferece, para nosso deleito, o acesso a um acervo incrível, e a informações preciosíssimas sobre a música brasileira!

Parabéns ao Toque Musical.

Vá lá e confira a surpresa de aniversário!

*Pela quarta vez estamos aqui soprando as velinhas. A cada ano que passa o fogo aumenta mais. Sempre que me aproximo do final de um ciclo desses, penso que já é hora de parar. Mas, devo confessar, isso aqui é uma cachaça! Além do mais, o que eu poderia fazer tendo tantos discos (e dos mais variados) à mão, somado aos que regularmente me são enviados pelos meus bons e fiéis amigos colaboradores e parceiros? Ficar amontoado em pilhas de discos, guardando tudo para mim? Isso não faz sentido. Coisas boas são feitas para compartilhar! Música é cultura! E se ainda nos sobra essa riqueza, vamos usufrui-la, antes que a burrice faça mais estragos. Viva a liberdade de comunicação, de comunhão e fraternidade musical!

Parabéns para todos nós que sabemos dar valor à nossa arte maior, a música! Salvemos o Brasil! Salvemos todos nós! Parabéns ao Toque Musical! É hoje!!!

* Postagem retirada do Toque Musical do endereço:

http://toque-musicall.blogspot.com/2011/06/carlos-poyares-o-som-maravilhos-da.html

EBC e Unesco promovem em Brasília seminário internacional sobre mídias públicas

Publicado originalmente pela EBC e retirado em 30/06/2011 do endereço:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-06-29/ebc-e-unesco-promovem-em-brasilia-seminario-internacional-sobre-midias-publicas

Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) promovem em Brasília, amanhã (30) e sexta-feira (1º), o Seminário Internacional de Mídias Públicas: Desafios e Oportunidades para o Século 21.

Conforme os organizadores, o evento reunirá especialistas em radiodifusão pública, representantes de entidades e dirigentes de empresas de comunicação da América Latina, dos Estados Unidos e da Europa.

Segundo o coordenador de Comunicação e Informação do Escritório da Unesco no Brasil, Guilherme Canela Godoi, o seminário ocorre em momento oportuno, em que há discussão no país sobre a convergência de mídias e também quando se debate a complementariedade dos sistemas públicos e privados de comunicação. “Parte significativa da discussão sobre o estabelecimento de novos marcos está ligada à complementariedade”, ressaltou.

O seminário ocorre na sede da EBC, em Brasília, das 9h às 18h30. As inscrições ainda estão abertas no site http://eventos.unesco.org.br/seminarioimp. A programação está disponível nos sites da EBC e da Unesco.

O evento será aberto pela ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas, pelo representante adjunto da Unesco no Brasil, Lucien Muñoz, pela presidenta do Conselho Curador da EBC, Ima Guimarães Vieira, e pela diretora-presidenta da EBC, Tereza Cruvinel.

Edição: Lana Cristina

Qual é o futuro da literatura?

Publicado originalmente no Blog Acesso e retirado em 30/06/2011 do endereço:

http://blogacesso.com.br/?p=3799

Por Blog Acesso

O livro impresso vai acabar? A narrativa ganhará novos contornos? A literatura conseguirá sobreviver aos novos tempos tecnológicos? Ainda há espaço para a crítica literária? O que diferencia o escritor da nova era? Essas e outras questões são a tônica do Oi Cabeça, evento promovido pela Oi Futuro até dezembro, no Rio de Janeiro,  que reúne intelectuais do mundo todo para discutir o futuro da literatura, diante do avanço das novas mídias.

Sob a curadoria das professoras Heloísa Buarque de Hollanda e Cristiane Costa, o evento reúne intelectuais como o filósofo tunisiano Pierre Lévy, a pesquisadora americana Janet Murray e o artista brasileiro Gilberto Gil. Entre os temas abordados estão: “realidade aumentada”, “o poder da palavra na cibercultura” e “os novos gêneros e-literários”.

Segundo Cristiane Costa, o Oi Cabeça tem como objetivo levantar questões importantes para a decifração dos rumos da literatura. “Pretendemos produzir um diálogo entre pensadores internacionais de ponta e criadores nacionais em busca de algumas respostas à pergunta: até onde pode ir a literatura antes de se tornar uma nova arte, baseada num novo suporte?”, diz Costa.

Heloísa Buarque de Hollanda chama a atenção para o fato de que, na história da humanidade, seja comum que os novos movimentos e mudanças sejam encarados como ameaças à ordem vigente. “Agora, o livro é posto em questão. Decretará a internet o seu fim? Como das outras vezes, o tempo se encarregará de desmentir esta premissa?”, questiona. Para nós, que vivemos as dúvidas do período de transição, resta participar dos debates, com equilíbrio e espírito crítico.

Programação:

Realidade aumentada
Data: 20 de julho, às 19h30
Debatedores: Daniel Gelder (Metaio)
Rogério da Costa (Laboratório de Estudos em Inteligência Coletiva e Biopolíticas – PUC-SP)

O poder da palavra na cibercultura
Data: 25 de agosto, às 19h30
Debatedores: Pierre Lévy (Universidade de Ottawa Canadá)
Gilberto Gil (compositor e cantor)

Literatura expandida
Data: 21 de setembro, às 19h30
Debatedores: Janet Murray (Hamlet no Holodeck)
Cristiane Costa (Programa Avançado de Cultura Contemporânea – UFRJ)

Os novos gêneros e-literários
Data: 19 de outubro, às 19h30
Debatedores:  Robert Coover (ELO – Eletronic Literature Organization)
Giselle Beiguelman (Wop Art)

Personagens, estratégias narrativas e engajamento nos games
Data: 16 de novembro, às 19h30
Debatedores: Ian Bogost (MIT – Newsgames)
Arthur Protasio (Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV-RJ)

Oi Futuro – Flamengo/RJ
Rua Dois de Dezembro, 63.
Tel.: 21 3131-3060
Entrada Franca (senhas distribuídas 30 minutos antes)

Senado instala CPI do Ecad para investigar arrecadação de direitos autorais

Publicado originalmente pela EBC e retirado em 30/06/2011 do endereço:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-06-28/senado-instala-cpi-do-ecad-para-investigar-arrecadacao-de-direitos-autorais

Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Foi instalada hoje (28), no Senado, a comissão parlamentar de inquérito (CPI) que vai investigar o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). A CPI do Ecad, como está sendo chamada, será presidida pelo autor do requerimento de sua criação, o senador Randolfe Rodrigues (P-SOL-AP), e o relator será o senador Lindberg Farias (PT-RJ).

Segundo Randolfe, a CPI vai trabalhar em duas linhas de ações. A primeira é investigar as denúncias de que a arrecadação de direitos autorais feita pelo Ecad, que é uma pessoa jurídica de direito privado, não é corretamente repassada aos autores das obras. “O Brasil é um dos poucos países no mundo que não têm nenhum tipo de fiscalização sobre a arrecadação de direitos autorais. De 136 países, só 20 não têm nenhum tipo de fiscalização, e o Brasil figura nesse seleto rol”, disse.

A segunda será discutir a lei de direitos autorais que vigora atualmente. Na opinião do senador, existem “exageros” na cobrança e na falta de transparência sobre os critérios para a formulação das tabelas que embasam a arrecadação.

A CPI ainda irá definir um plano e um cronograma de trabalho. Apesar disso, o presidente já adiantou que pretende fazer audiência públicas itinerantes em todas as regiões do país.

Conforme descrição na página do Ecad na internet, a instituição é “administrada por nove associações de música para realizar a arrecadação e a distribuição de direitos autorais decorrentes da execução pública de músicas nacionais e estrangeiras”.

Edição: Aécio Amado

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A Colonização e o Povoamento do Baixo Jequitinhonha em Minas Gerais, no século XIX: a “guerra justa” contra os índios - Cézar Moreno Conceição Tavares

LANÇAMENTO DA EDIÇÃO COMEMORATIVA

A COLONIZAÇÃO E O POVOAMENTO DO JEQUITINHONHA NO SEC XIX: a guerra contra aos índios, face ao bicentenário do município de Jequitinhonha e região, e a resistência cultural dos povos indígenas, livro de Cézar Moreno

Com participação especial de Walter Dias, Milena Torres, Luiz Felipe, Nivaldo Caetano, Admilson Campos e outros.

VALEMAIS - INSTITUTO SOCIOCULTURAL DO JEQUITINHONHA.

DIA 30/06 A PARTIR DAS 19 HS

LOCAL: BAR COPO SAGRADO

RUA SANTO AMARO, 459, SAGRADA FAMILIA, BH MG


Objeto de Pesquisa

A colonização e o povoamento do baixo Jequitinhonha em Minas Gerais e a guerra contra os índios, no século XIX.

Fonte/Corpo Documental

Foram utilizadas fontes primárias impressas pela Revista do Arquivo Público Mineiro e manuscritas das Secções Colonial e Provincial do referido arquivo; publicações do século XIX e documentos avulsos publicados pela mesma revista. Obras dos viajantes e leis.

Abordagem da problemática/Metodologia do Trabalho

Com base nas fontes e bibliografia, buscou relacionar o processo de colonização e povoamento com a decadência da mineração, a expansão da fronteira colonial, a militarização, a devastação da mata, a política indigenista, a viabilização da navegação do Rio Jequitinhonha como rota comercial e de comunicação entre o interior mineiro e o litoral baiano. O estudo vai até a formação social das nos arredores dos quartéis.

Estágio Atual da Pesquisa

O trabalho fez parte do Programa de Bolsas de Iniciação Científica – PROBIC – da PUC-MG, resultando na sua publicação. A pesquisa prossegue com o estudo da História invisível dos índios Maxakali do Jequitinhonha – aliados do colonizador na guerra contra os botocudos.

Resumo

A Colonização e o Povoamento do Baixo Jequitinhonha em Minas Gerais, no século XIX: A guerra contra os índios

Cézar Moreno Conceição Tavares[1]

A colonização e o povoamento do baixo Jequitinhonha em Minas Gerais se processaram em dois momentos com sentidos diferentes. O primeiro, com a expedição do capitão-mor de Porto Seguro, João da Silva Santos, em 1804, e depois em 1806, com o Ouvidor, também, de Porto Seguro, José Marcelino da Cunha, ambos atendendo ordens diretas do governador da Capitania, de explorar o rio Jequitinhonha. O segundo, aconteceu em 1811, com o alferes Julião Fernandes, que cumprindo as ordens editadas através da Carta Régia de 1808, que declarava uma “Guerra Justa”, ofensiva e exterminadora contra os habitantes da mata.
No começo do século XIX, a Corte Portuguesa se transfere para o Brasil, e D. João autoriza a construção de estradas em várias regiões, dando início à expansão da fronteira agrícola colonial, em consonância com os interesses particulares de desbravar a mata, e acabar com os esconderijos dos índios, livrando o nordeste mineiro da sua ação destruidora.
A ocupação do Baixo Jequitinhonha se tornou oficial com a chegada do alferes Julião Fernandes, para instalar e comandar os quartéis da Sétima Divisão Militar do Jequitinhonha. As ordens eram: enfrentar o índio pela força das armas; garantir o direito da apropriação privada das terras e da mão-de-obra indígena; aprisionar qualquer índio que fosse encontrado com armas e em resistência; distribuir lotes de sesmarias aos colonos para desbravar e devastar a mata, esconderijo natural dos índios; e finalmente, marcar a data de início do cativeiro dos índios que seriam utilizados pelos colonizadores, através da ação religiosa e do batismo.
A colonização e o povoamento se deram com a apropriação privada do território de caça, pesca e coleta dos índios, através de uma ocupação genocida, que integrou à força os índios ao mundo civilizado, aldeando, destribalizando e desculturando ou exterminando, visando a interiorização da fronteira agrícola. Abria-se um novo horizonte: ocupação de novas lavras, índios para prear e terra para agricultura isenta de impostos, através de incentivos fiscais e fundiários.
A política indigenista adotada por D. João, questionava os métodos brandos implantados a partir do período pombalino e visava uma guerra de extermínio e escravização dos rebeldes e a destribalização e desculturação dos dóceis. E a caça aos índios bravos e ferozes criou uma nova relação entre o branco e o índio, colonizador e colonizado.
Para animar o povoamento, havia o incentivo do governo, em vigor desde 1808. Esses incentivos fiscais e fundiários, somados aos ganhos com a preação e lavouras promoveram uma migração em massa para o Baixo Jequitinhonha. A mata seduzia o mineiro pelo que oferecia, e exercia uma forte atração ao excedente populacional de Minas Novas, aliciando jovens, casais, aventureiros, fugitivos e família inteiras. Com a força do machado do colono, as terras foram transformadas primeiro em áreas de agricultura, e, no final do século, em pastagens de fazendas de criação de gado, pela concentração da terra e riqueza.
O processo pode ser caracterizado como parte da expansão da fronteira colonial, com uma política indigenista marcada pela violência contra os índios, justificada por razões político-militares e pelo “sentimento de ameaça à integridade física do reino português, como se os grupos indígenas da região pudessem promover movimentos de oposição à ocupação plena do território e fossem capazes de desorganizar o sistema de dominação política instaurado pelo regime colonial”.

 Obs.: O livro pode ser adquirido na Sede do CEDEFES e também pelo fone (31) 3463.8074.

[1] Bacharel e Licenciado em História pela PUC-MG. Assessor de Patrimônio Cultural do Centro de Apoio Operacional Estadual da Procuradoria Geral de Justiça do Estado de Minas Gerais. Trabalha atualmente no projeto de mestrado: A História Invisível dos Maxakali no Jequitinhonha – século XIX: simulação da resistência – História e Memória: Século XIX. Participa do Projeto Aranã: Indígenas e Indianidades Emergentes no Vale do Jequitinhonha – MG, CEDEFES.

Itaú Cultural promove exposição e simpósio sobre arte cibernética

Enviado por Itaú Cultural.

Um robô recita Shakespeare; o público controla a pista de dança; uma máquina pede para ser sua amiga. Essas são algumas das experiências que você pode conferir na mostra Rumos Arte Cibernética a partir de quinta-feira, 30 de junho, no Itaú Cultural. As obras reunidas na exposição foram criadas pelos artistas selecionados nas edições 2006 e 2009 do programa Rumos e trabalham o conceito de arte cibernética, em que o público e a obra - e/ou seus subsistemas - estão em constante e recíproca troca.

O evento apresenta um simpósio, com pesquisas e teses também selecionadas no programa Rumos. Entre 30 de junho e 2 de julho, as mesas discutem temas, como arte colaborativa e poéticas digitais. Todos os debates serão transmitidos ao vivo no site do Itaú Cultural, com espaço para perguntas e comentários dos internautas.

Para mais informações sobre os eventos, acesse as matérias sobre a Exposiçãoe o Simpósio.

Exposição Rumos Arte Cibernética

quinta 30 de junho a domingo 4 de setembro de 2011

terça a sexta 9h às 20h

sábado domingo feriado 11h às 20h

pisos 1, -1 e -2

Simpósio Rumos Arte Cibernética (clique aqui para ler a sinopse das mesas)

quinta 30 de junho a sábado 2 de julho de 2011

quinta 19h

sexta sábado 16h e 19h

Sala Itaú Cultural - ingressos distribuídos com meia hora de antecedência (247 lugares)

entrada franca

Itaú Cultural | Avenida Paulista 149- Paraíso - São Paulo SP [próximo à Estação Brigadeiro do Metrô]

informações 11 2168 1777

atendimento@itaucultural.org.br | twitter.com/itaucultural

imagem: obra I Dance, de Leandro Trindade | Reuben da Cunha

Workshop de Violão dia 18 e 19 de julho de 2011

O Conservatório de Música Teófilo Otoni convida para o Workshop de violão com o professor Afrânio Guimarães.

Faz parte do programa o trabalho com princípios de harmonia e improvisação e campo harmônico e tonalidade maior.

Dia:18 e 19 de julho ·

Hora: 19:30 - 21:00

Local: No Conservatório de Música Teófilo Otoni - Casarão do Sesc

E-mail: mtomusic@hotmail.com

Tel.: (33) 3522-4566
Endereço: Rua Bernarda Laender 146/Sala 03 - São Diogo - Teófilo Otoni - MG

Os crente e a elite cultural: o paradoxo da diversidade

Publicado originalmente por Newton Cannito no Cultura e Mercado e retirado em 29/06/2011 do endereço:

http://www.culturaemercado.com.br/pontos-de-vista/os-crente-e-a-elite-cultural-o-paradoxo-da-diversidade/comment-page-1/#comment-121145 

A elite cultural brasileira não gosta dos “crentes”. Afinal eles não são o “brasileiro típico” do imaginário cultural brasileiro.  Crente não leu Gilberto Freyre.

Para a elite cultural o brasileiro típico seria: alegre,  malandrinho,  meio músico, curte samba ou funk e a mulher é gostosa e trepa bem.

A elite cultural queria que o pobre fosse a imagem do pretinho alegre da escravidão. Mas para tristeza da elite os pobres estão é virando crente mesmo.

A elite adora diversidade cultural e o crente não curte tudo.

Para a elite umbanda é “uma cultura linda”. Para um crente a umbanda é magia mesmo. Crente acredita em umbanda, a elite acha uma tradição super bonita e que tem músicas ótimas.

Para a elite o pobre ideal é tropicália: ele circula, é diverso, tem contato com a cultura popular e de preferência tem sexualidade ambígua e libertária.

A elite gosta de pobre com estilo. Pobre sem estilo é chato.

O trabalho ideal para o pobre é a cultura. Fazer arte para se distrair e nos divertir. Se fizer isso a gente contrata.

No ponto de vista da elite “crente é chato” . Afinal ele não usa roupa colorida, não é uma maquina de sensualidade e nem esta disponível sexualmente para o patrão.

A elite cultural defende a diversidade cultural em tudo.  Exceto com crente.  Com eles não vale, pois “eles são chatos, feios, sem graça. E anti-diversidade”.

Paradoxo da diversidade: a diversidade tem que estar presente em todos? Ou a diversidade inclui pessoas que não querem a diversidade dentro de si?

A diversidade cultural deve incluir pessoas anti-diversidade?

Tem sentido alguém como eu, que gosta da diversidade, querer impor a diversidade a quem não quer ter a diversidade na sua vida?  Impor diversidade, não seria contradição em si?

Ter  preconceito com quem não é a favor da diversidade não seria uma atitude que contraria aos princípios da diversidade?

Ou seria melhor eu entender que quem não gosta da diversidade, ajudará a compor um panorama diversificado de cultura?

Uma coisa é fato: já é hora da elite cultural parar de ter preconceito com os “crentes”, parar de chamar eles de “crentes” e ver que sob o título genérico e preconceituoso de “crente” existe, na verdade, uma vasta gama de diversidade religiosa popular que – no mínimo – expressa necessidades culturais e espirituais de nosso povo. No mínimo.

Newton Cannito http://www.doutorcaneta.blogspot.com

Cineasta e escritor. Foi Secretario do Audiovisual do Ministério da Cultura. Para mais artigos deste autor clique aqui

terça-feira, 28 de junho de 2011

Lançamento Integrado do Cartão Postal no Projeto Estação Cinema

Mucuryanos,

Mais uma novidade! Agora em parceria com a DF5 faremos o Lançamento Integrado do filme Cartão Postal em nossa próxima sessão do Projeto Estação Cinema!

É neste sábado, dia 02 de julho. Confira todos os detalhes e não deixe de participar e divulgar!

DIA: 02 de julho

HORÁRIO: 20h:00min

LOCAL: Estação Doce Maria

ENDEREÇO: Rua Dr. João Antônio, 50 (em frente à UETO), Centro – Teófilo Otoni/MG

CONTATOS: contato@mucurycultural.org, 33-8886-4097 e 33-9917-6509.

Cartaz_lançamentointegrado02

 

 

Trailer

CARTÃO POSTAL - TRAILER from DF5 - Distribuidora de Filmes Fo on Vimeo.

Cartão Postal

Release

Filme Cartão Postal e clipe Rua Augusta são os primeiros lançamentos nacionais da DF5

O Clube de Cinema Fora do Eixo está com o projeto de Lançamento Integrado de filmes que fazem parte do catálogo da distribuidora DF5. Durante os meses de junho e julho, o longa Cartão postal, de Josinaldo Medeiros e Wagner Novais e o clipe Rua augusta, do rapper Emicida, serão exibidos nos cineclubes de todo país.

O Rio de Janeiro inquieto e multifacetado. Uma outra cidade que passa despercebida aos olhos dos turistas. Cartão Postal traduz o passado, presente e futuro dos jovens que convivem com a violência e o tráfico de drogas, através da história do morador da favela, Beiço. O filme será distribuído pela DF5, distribuidora de Filmes do Fora do Eixo e terá lançamento integrado envolvendo mais de 15 cineclubes.

Do rapaz trabalhador e assalariado ao rei da favela, o cotidiano de Beiço é contado pelo olhar e lentes dos jovens do projeto Cinemaneiro, da associação Cidadela. Primeiro longa metragem ficcional realizado inteiramente por participantes de uma experiência popular de audiovisual. São aproximadamente 70 minutos gravados, mas que contém trechos independentes (curtas inteiros) que se fecham e que poderão, tirando proveito do formato digital, serem extraídos do todo. A proposta é do espectador ter alguns filmes diferentes e um inteiro como ponto de partida.

Desde 2002, o projeto Cinemaneiro já atendeu mais de 850 jovens e 18 favelas já participaram. Nesse período, foram realizado cerca de 30 curtas metragens e 30 exibições de curtas brasileiros. Uma geração que, através das oficinas de cinema, está aprendendo, desde cedo, a exercitar a criatividade, refletir, debater e fazer do cinema uma ferramenta social transformadora.

O filme Cartão postal e o clipe Rua augusta estão disponíveis para assistir e baixar no site cartaopostal.tnb.art.br. O projeto de lançamentos da DF5 é uma realização do Clube de Cinema Fora do Eixo.


Entrevista Cartão Postal

Nos bastidores do Cartão Postal

Lançamento nacional da distribuidora de filmes DF5, do Fora do Eixo, o filme Cartão Postal é uma realização do projeto Cinemaneiro, que ministra oficinas e faz exibições de cinema em 18 favelas do Rio de Janeiro. Na entrevista a seguir, diretores do filme e coordenadores do Cinemaneiro contam um pouco sobre a execução do longa, ou melhor, dos vários curtas que resultam no longa.

1. Quando e como foi concebido o filme Cartão Postal?

A parte principal gravamos em meados de 2007, o prólogo em dezembro de 2005 e o curta do final em 2010. Durante alguns anos, o Núcleo de Produção Cinemaneiro se dedicou ao processo de experimentação audiovisual dos participantes, sempre no formato de curta duração. Com a oportunidade de um orçamento (R$ 40.000,00) o longa Cartão Postal foi pensado como uma forma de colocarmos em prática tudo que vínhamos experimentando em pedaços, nos curtas anteriores.

2. Como as histórias foram desenvolvidas? Houve roteiro, escolha de tema ou simplesmente os jovens sairam gravando o que queriam?

Seguimos os conceitos básicos de organização de uma produção, com os departamentos bem definidos, mas como somos parceiros antes de sermos profissionais, a colaboração foi a tônica do processo. Existia uma escaleta da parte principal e os curtas tiveram seus roteiros mais definidos. O encaixe dos curtas ao corpo principal aconteceu em paralelo à montagem/edição do filme, a partir de algumas necessidades encontradas e de algum planejamento prévio, dentro do espírito temporal e atemporal (sim, os dois ao mesmo tempo) que carrega o filme.

3. Como surgiu a proposta de transformar esses pequenos filmes em um longa?

A era da multiplataforma nos instiga a desvendar. Disponibilizar em partes, entender o espectador de forma diferente e não passivo e buscar interatividade foram algumas das linhas de raciocínio que nos levaram a este formato aberto.

4. Qual a intenção na escolha do nome Cartão Postal?

O Rio, dizem, é a porta de entrada do Brasil e um cartão postal dos mais conhecidos mundialmente. Mas não é só de belezas que o Rio é feito. Muito pelo contrário. Contrapor o significado do “cartãozinho” que os turistas levam como lembrança à dura realidade é a intenção. Fazer pensar como estes dois Rios são um e são dois.

5. Como funciona o projeto Cinemaneiro? Conte um pouco dessa história até chegar na concepção do filme.

O Cinemaneiro é um projeto que nasceu como difusão de curtas brasileiros, que tinha oficina de realização cinematográfica em digital como modo de mobilizar os jovens. Rapidamente, já em 2003, dobramos o tempo de curso, entendendo que os participantes queriam mais que serem espectadores.

Mais um ano se passa e elaboramos o Núcleo de Produção Cinemaneiro, para onde os participantes das oficinas introdutórias corriam, com objetivo de experimentarem mais, se especializarem nas suas áreas de interesse e encontrassem outros integrantes deste que já se constituía como um coletivo e pudessem construir seus projetos.

O Cineclube Beco do rato é um destes projetos (que vai para o seu sexto ano de funcionamento semanal) e a própria Cidadela é a ONG fundada a partir das necessidades e anseios desta rapaziada introduzida no audiovisual pelas oficinas Cinemaneiro, já misturados aos professores, coordenadores, colaboradores das oficinas.

A escaleta da parte principal do Cartão foi concebida a partir de conversas entre freqüentadores do NUPROCINE e, na oportunidade do investimento da UNIMED no filme, optou-se por um não roteiro, mas na decupagem da escaleta, já com o filme final sendo idealizado.

6. Quantas pessoas participam do projeto?

Nossa equipe varia de acordo com a edição do projeto de oficinas (já foram 4, 6 ou 8 de uma só vez), mas entre equipe fixa e flutuantes, já passaram pelo projeto aproximadamente 50 pessoas, entre gente de cinema e assistentes sociais, por exemplo.

7. Qual o objetivo da produção e divulgação desse projeto?

Além de ser nosso primeiro longa é de baixíssimo orçamento e se propõe a ser 100% compartilhado. Mostrar nosso trabalho é um dos objetivos, mostrar o baixo orçamento como um bom modelo de produção e comprovar que compartilhando nos conectamos com muito mais agentes, atores, pessoas, coletivos, redes sociais, espectadores.

8. O cinema é uma ferramenta de transformação social? Porque?

Sim. Além de vivermos cada vez mais com o audiovisual nas nossas vidas, o ser humano é um ser audiovisual. Pense numa palavra qualquer e o que virá a sua cabeça é o objeto que a palavra representa. Quantas vezes sons nos remetem a uma lembrança? Vivemos o cinema, dentro das nossas mentes, de forma inconsciente, mas sempre presente. O cinema materializa e nos faz perceber isso e de que formas podemos interagir mais e melhor.


Ficha técnica Cartão Postal

Título: Cartão postal

Título original: Cartão postal

Resolução: 1280 x 720

Codec: MP4

Duração: 60min aprox.

Tamanho: 889,28MB

Cor: colorido

Ano: 2011

Cidade/UF: Rio de Janeiro/RJ

País: Brasil

Gênero: drama

Som: estéreo 2.0


Sinopse:

Em 2016 Cartão Postal é tijolo e quem manda é o poder paralelo. No país das olimpíadas, estamos na mídia. Só resta saber até quando...

DIREÇÃO: Josinaldo Medeiros, Wagner Novais

ELENCO: Zezé Antônio, Renato Peres, Luisa Reis, Khassyon Martins I, Rhudson Lewkyan, Ricardo Andrade, Eduardo Jericó, Max Neves, Adriana Luna, Jéssica Felipe I,

ASS. DE DIREÇÃO André Sandino, Tiago Sisto

PRODUÇÃO EXECUTIVA Josy Gomes

PRODUÇÃO Fabiana Farias, Samara Lima, Christian Santos

GAFER Leandro Lopes PRODUTOR DE LOCAÇÃO Zezé Antônio

DIRETOR DE FOTOGRAFIA E CÂMERA Cristiano Morais

DIREÇÃO DE ARTE Manaíra Carneiro

FIGURINISTA Fabricio Machado

TÉCNICO DE SOM Rafael Tanner

CONTINUIDADE Rafael Freire, Vanessa Junqueira MONTAGEM Josinaldo Medeiros

Contato: Josinaldo Medeiros

Email: josinaldomedeiros@gmail.com

Telefone: 21-9218-7877

Skype: josiglaudios


Rua Augusta

Ficha técnica Rua Augusta - Emicida

Título: Rua Augusta - Emicida

Título original: Rua Augusta - Emicida

Resolução: 640 x 480

Codec: MOV

Duração: 4min aprox.

Tamanho: 59,57MB

Cor: colorido

Ano: 2011

Cidade/UF: São Paulos/SP

País: Brasil

Gênero: videoclipe

Som: estéreo 2.0


RUA AUGUSTA

música EMICIDA

produção musical CASP

direção FELIPE RODRIGUES, LUCAS GANDINI

finalização MARCUS MONTOVANELLI

fotos making off PEDRO GIGANTE

produção EMICIDA, FIÓTI, TUJAVIU, MUNDIKO

Contato: Thiago Dezan

Email: thiagodezan@foradoeixo.org.br

Skype: cuboatendimento


Fotos Cartão Postal

 

NALATA (de hoje pra amanhã…)

Qual será o tema de hoje? Como tá o programa?

- Não sabemos! Estamos esperando Gordin Nirvana chegar com ele…ou com o que sobrou dele…

cover

Quarta-feira – 1h:00min

Sexta-feria (reprise) – 1h:00min

Produção: Gordin

Locução: Gordin

Edição e técnica: Bruno Bento e Gordin

Contato: contato@mucurycultural.org

Chamada NALATA by mucury cultural

SEÑALES DE ROCK

Hoje tem Señales de Rock! Não perca!

Terça-feira – 22h:00minradio (1)

Sexta-feira (reprise) – 19h:00min

Conduccion : Jorge Ingegnieros

Conducción y Producción General : Daniel Sperlungo

Edición : Gustavo Bolasini

Columnistas : Conde Gonzalez , Roberto Rossini , Miguel Randolfe

Diseño de Blog : Dario De Almeida

Contato: senialesderock@fibertel.com.ar

Chamada Señales de Rock by mucury cultural

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Imagens Urbanas, Teófilo Otoni no Século XX

foto_thumb

No último sábado (27), tivemos um grande prazer.

Exibimos um filme composto a partir de imagens da cerimônia de Corpus Christi em Teófilo Otoni no ano de 1949, da construção do Cine Metropole (década de 50), imagens da antiga Rua das Flores e de um jogo de futebol entre o Atlético de Teófilo Otoni e o Caratinga.

O responsável por este grande momento foi o Instituto Joaquim Sadi Ribeiro na pessoa de seu presidente, Guilherme Câmara, nos propôs a sessão extraordinária.

Na ocasião, tivemos uma boa conversa sobre memória e cinema, e a importância desta arte para a formação identitária em nossa região, e da própria memória das salas de cinema, que foram muitas e espontâneas na cidade.foto-1_thumbfoto-2_thumb

Outra alegria foi o convite, já aceito, para que estabeleçamos uma parceria com o Instituto Joaquim Sadi Ribeiro com o objetivo de promover o cineclubismo e apoiar ações de valorização da memória cinematográfica em Teófilo Otoni.

Novamente agradecemos ao Guilherme a oportunidade de uma visão de única da cidade na primeira metade do século XX, fundamental para a reflexão sobre Teófilo Otoni. agradecemos também todos os presentes na sessão extraordinária do Estação Cinema, aproveitamos e convidamos a todos para a próxima sessão neste sábado, 02/07.

   Aguardamos todos lá.

CONTATOS: contato@mucurycultural.org, 33-8886-4097 e 33-9917-6509.

Confira algumas fotos:

Premiação Clique Turismo

convite_online

O FESTIVAL NACIONAL DE CURTÍSSIMA METRAGEM - CLARO CURTAS–inscrições até 01/07

O FESTIVAL NACIONAL DE CURTÍSSIMA METRAGEM - CLARO CURTAS é uma plataforma dedicada a vídeos de curtíssima metragem, realizados a partir de mídias móveis (celulares, webcams e câmeras digitais e outros dispositivos).

Em sintonia com as premissas do Instituto Claro (@institutoclaro), o Claro Curtas tem como objetivo democratizar o acesso ao audiovisual.

Além da premiação, o festival oferece oficinas de experimentação em vídeo e materiais educativos multimídia, promovendo a educação, a cultura e o empreendedorismo a partir do uso de novas tecnologias.

Já estão abertas as inscrições para terceira edição do festival!

Novas categorias e R$ 100 mil em prêmios. Saiba mais no www.clarocurtas.com.br

Aprenda, experimente e mostre seu talento. Participe! @clarocurtas

reprise do Gigantes Gentiles 50, hoje, às 19h

Está imperdível! Confira! nesta quarta-feira!

O programa foi uma festa danada! Vale a pena ouvir, não perca, aqui na radioweb colaborativa mucury cultural.

Celebramos las 50 emisiones y que grabaramos el  sábado 18 con público y con actuaciones en vivo en Altos de Montevideo”.

En este programa: Las presentaciones en vivo de Danae y su nueva formación, el guitarrista Valdi Mónaco, Francisco Batista y su finger style, y un cierre de lujo con Canturbe.

El registro fotográfico de esta noche excepcional se puede ver en este mismo blog haciendo clic aquí

Gigantes Gentiles, la buena música que no se escucha, se emite por 10 emisoras: RadioColaborativa.com, FM VOX 100.9 Mhz (Punta Alta, Argentina), RadioXpress, Tu Voz Interactiva (México), SinAudio.com (México), FM Ariadna Solidaria 95.5 (Blanco Encalada, Mendoza), Código DF (México DF), Delta 80 (Caseros, Bs. As.), Culturactiva Radio (Montevideo, Uruguay) y Radio Mucury Cultural, de Teófilo Ottoni, Minas Gerais, Brasil.

¡Los esperamos!

em algum lugar

Teatro Dom Silvério – Av. nossa Senhora do Carmo, 230 – Savassi – Belo Horizonte – (31) 2191 – 5711

Texto e direção de André Luiz Dias.

curta novo: Tá


Toda semana um novo curta do
Porta Curtas!

Assista, não perca!

Gênero Ficção, Conte·do Adulto

Diretor Felipe Sholl

Elenco Fernando São Thiago, João Ferreira

Ano 2007

Duração 5 min

Cor Colorido

Bitola indisponível

País Brasil

Local de Produção: RJ

Dois meninos de vinte e poucos anos exploram sua sexualidade em um banheiro público.

Ficha Técnica

Roteiro Rafael Lessa, Felipe Sholl

Som Direto Helil Neves

Direção de Arte Marcos Paulo Passos

 Edição de som Leandro Matos

Câmera Andrea Capella

Direção de produçãoPedro Aguiar

Produção Executiva Jonathan Nossiter

Montagem Julia Murat

Prêmios

Prêmio Teddy de Melhor Curta Gay no Festival de Berlim 2008
Prêmio Especial no Goiânia Mostra Curtas 2007
Coelho de Prata de Melhor Curta no Festival Mix Brasil 2007

Festivais

Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2007
Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema 2007
Vitória Cine Vídeo 2007

domingo, 26 de junho de 2011

Tau Brasil faz show em Teófilo Otoni

Enviado por André Luiz Dias

26 DE JUNHO EM FRENTE A PREFEITURA. CONCURSO DE QUADRILHAS, BARRAQUINHAS, ETC. NO REPERTÓRIO CLÁSSICOS DE GONZAGÃO, ALCEU VALENÇA, DOMINGUINHOS E MÚSICAS PRÓPRIAS.

Ontem também teve uma apresentação, e hoje não perca!

Cê Manda! 19.

Olá cemandistas!

cê manda - estúdio "nas coxa"

Ainda não sabemos quem vai gravar… amanhã cedo resolveremos, e tomara que o programa não atrase, de novo…

A lista é de Gordin Nirvana… o dono do nalata!

Um refresco tupiniquim após cê mandas! de Inglês deplorável…

Eis a lista:

Ana Luiza – Tom Jobim e Vinícius de Moraes

Garota de Ipanema – Vinícius de Moraes

Dança da Solidão – Paulinho da Viola

Prova de Carinho – Adoniran Barbosa

Gago Apaixonado – Noel Rosa

Tristeza do Jeca – Sílvio Caldas

Juventude Transviada – Luiz Melodia

Cheio de Dedos – Guinga

Insensatez – João Gilberto

Gente Humilde – Jair Rodrigues

Noites com Sol – Flávio Venturini

O que será – Milton Nascimento.

Gostou?

Nâo Gostou?

Mandar sua lista para ir à forra!

Envie a sua para o mucurycultural@gmail.com e avaliamos, se gostarmos ela toca!

Fazemos a pesquisa e montamos um programa repleto de informações sobre as faixas, curiosidades, histórias sobre compositores, produtores, cantores, a música e tudo mais que conseguirmos encontrar!

Ficou curioso?

Então ouça sempre no domingo às 13h:30min (se não atrasar) e quinta-feira, 21h.

É só aqui no mucury cultural!

Envie você a próxima lista e participe!

Seja o colaborador do próximo programa!

Ouça aí a chamada:

Chamada - Cê manda by mucury cultural

sábado, 25 de junho de 2011

graveola no sesc tijuca - rj

- dia 30 de junho > grátis! espalhem e venham curtir o novo show do grave!

267289_1644632814499_1797267055_1126890_1658477_n

Catarse

Retirado do Digestivo Cultural em 25/06/2011 do endereço:

http://www.digestivocultural.com/entrevistas/entrevista.asp?codigo=45&titulo=Catarse

Por Vicente Escudero

Luís Otávio Ribeiro, Daniel Weinmann e Diego Reeberg, fundadores do Catarse

Segundo a Wikipedia, crowd funding (também conhecido por crowd financing, crowd sourced capital, ou street performer protocol) representa a cooperação coletiva por uma rede de pessoas que investem recursos e dinheiro, normalmente pela internet, para patrocinar iniciativas atendendo a diversas finalidades, como o auxílio a vítimas de desastres, patrocínio de iniciativas de jornalismo-cidadão, softwares livres e até campanhas políticas.

No Brasil, a iniciativa do crowd funding na internet ainda é incipiente e são poucos os exemplos de projetos que comprovam a eficácia do sistema. Buscando mudar este panorama, um grupo de amigos fundou o primeiro site de crowd funding nacional focado no empreendedorismo cultural, o Catarse. Luís Otávio Ribeiro, Daniel Weinmann, Diego Reeberg, fundadores da empresa, contam um pouco da história do site, as dificuldades enfrentadas pela distância separando os envolvidos no projeto e dão dicas aos leitores que pretendem ter seus projetos aprovados pela curadoria do Catarse para captar recursos através da audiência do site.

1. O Catarse não é trabalho de uma pessoa só, certo? Quem são os criadores do site e como vocês se conheceram?

Diego ― Criadores do site são 3: eu, o Luís e o Daniel. Eu e o Luís nos conhecemos há 3 anos, somos colegas da mesma turma no curso de administração da FGV em São Paulo. A gente começará a cursar agora em agosto o último ano da faculdade. O Daniel, a gente conheceu por um contato em comum (Rafael Zatti, fundador do site ideias.me, plataforma de crowdsourcing). Eu havia conversado um dia, no final de setembro com o Rafael, via Skype, já que ele mora em Santa Maria, RS, sobre crowdfunding e crowdsourcing (ele, na época, blogava sobre o tema).

Nessa conversa falei pra ele que estávamos trabalhando pra trazer o modelo do Kickstarter para o Brasil. Poucos dias depois disso, houve um evento de empreendedores em Porto Alegre (o Daniel é de lá) onde o Rafael foi. Lá, eles se conheceram e o Daniel comentou sobre o interesse dele em crowdfunding para o Rafael, que acabou falando sobre a gente. Uma semana depois falei com o Daniel pelo Skype, três semanas depois a gente era sócio e, mais adiante (na primeira semana de novembro), começamos a trabalhar no Catarse.

Daniel ― Vale lembrar que hoje a equipe é formada por 6 pessoas. Em abril deste ano anunciamos a fusão com outra plataforma decrowdfunding, a Multidão. Então, o Catarse e a Multidão, agora, formam o Grupo Comum e tem como integrantes, além de nós três, o Rodrigo Maia, Thiago Maia e Pedro Struchiner (do Multidão).

2. O crowdfunding na internet brasileira ainda está em processo de amadurecimento. Qual o diferencial que vocês oferecem no Catarse para os criadores dos projetos em comparação com outros sites, como o Vakinha? E aos colaboradores?

Diego ― Primeiramente, em relação ao Vakinha, é o foco: O Catarse trabalha estritamente com projetos criativos, enquanto o Vakinha pode servir para angariar fundos para uma festa de casamento ou pra compra de um produto. Daí temos que os usuários do Catarse já sabem que tipos de projetos encontrarão no site.

O Vakinha também é um site fundado na ideia de que a arrecadação do dinheiro será praticamente toda proveniente de amigos e conhecidos. Por mais que, no Catarse, a maioria do valor venha dessa rede, muitas pessoas desconhecidas (dos donos do projeto) também acabarão apoiando.

O Catarse assume uma função de "vitrine de bons projetos criativos" que facilita a vida dos apoiadores de um lado, e dá destaque para os autores do projeto de outro. Como nós fazermos a curadoria dos projetos, geramos maior credibilidade para quem for apoiar (pois o projeto precisou passar por uma seleção para estar no site).

Luís ― Mas, lógico, essas diferenças são apenas em relação ao Vakinha. Depois que lançamos, surgiram alguns outros sites de crowdfunding com a proposta como a nossa (como a do Kickstarter, na verdade).

Acho que o grande diferencial é a qualidade e quantidade dos projetos e a comunidade que se relaciona com o site. Por termos bem mais projetos (e também mais projetos bem-sucedidos) do que outras iniciativas, o site tem uma base de usuários grande, já recebeu um volume de financiamento para os projetos bem maior que os outros sites e cresce em um ritmo acelerado. De qualquer forma, pra isso ter acontecido, acho que a curadoria tem um grande peso. Nós já recebemos mais de 400 projetos, mas apenas 41 entraram no site.

3. A influência do Kickstarter está muito presente no Catarse. Vocês também buscaram outras fontes para o modelo de negócio do crowdfunding, mesmo ainda não existindo um conceito para determinar os limites do que seria o "crowdfunding"...?

Diego ― O Kickstarter realmente foi a grande inspiração. A gente discutiu outros modelos, como o do IndieGoGo (que, por sinal, foi lançado antes do Kickstarster), que tem um modelo mais aberto, onde qualquer projeto pode entrar no ar, não há curadoria. O Ulule, site francês, que agora também existe no Brasil, também foi uma grande inspiração. E o Queremos, que produz shows no Rio de Janeiro utilizando o crowdfunding como ferramenta, também está presente nas discussões sobre modelo de negócios porque alia o investimento de pessoas físicas com o apoio de empresas.

4. O que um projeto deve conter para ser financiado pelo público através do Catarse? O processo de seleção tem critérios rígidos ou vocês aceitam projetos de todas as áreas?

Diego ― A gente aceita projetos de várias áreas, mas isso não faz com que o processo seja menos rígido. As três grandes áreas que trabalhamos são de projetos empreendedores, culturais e jornalísticos. Dentro disso, aceitamos projetos de artes plásticas, circo, dança, filmes, fotografia, música, teatro, etc. ― e também para projetos criativos que surjam em campos como alimentação, design, moda, tecnologia, jogos e quadrinhos.

Luís ― Para entrar no nosso processo de seleção, o primeiro passo é ver se o projeto está de acordo com as nossas diretrizes, ou seja: a) tem que ser um projeto finito; b) tem que haver recompensas associadas ao projeto; c) não podem ser causas de caridade. Outro ponto bem importante é conversar com o dono do projeto para conhecer a sua trajetória. A gente também tenta entender como a pessoa moverá sua comunidade (através das mídias sociais ou em contatos off-line) e como fará com que pessoas resolvam contribuir para os projetos. E, por fim, tem também a parte subjetiva, que está mais ligada à qualidade do projeto em si e tem a ver com o nosso gosto para coisas criativas.

Pode-se dizer que os projetos no Catarse são, em grande parte, um reflexo do gosto artístico dos seus sócios (e isso ajuda a gente a manter uma originalidade, já que outras plataformas não conseguirão copiar o nosso gosto).

Daniel ― Alguns pontos importantes sobre o que um projeto deve contar pra conseguir o financiamento: a) o principal, de longe, é o autor do projeto ter paixão por ele. Aí ele vai ter energia suficiente e capacidade para motivar pessoas a apoiarem sua causa; b) transparência e demonstrar habilidade e capacidade para executar o projeto são pontos bem importantes também; c) já ter uma rede estabelecida de pessoas que admiram o seu trabalho.

É bem provável que mais de 50% do que for arrecadado virá de contatos do autor do projeto, logo, se ele não tiver previamente uma rede de contatos que poderão ajudar ele nesse processo, vai ficar bem difícil de ele criá-la durante a campanha; d) saber se comunicar através das mídias sociais, dialogar com pessoas interessadas, divulgar o projeto para as pessoas certas é fundamental; e) elaborar recompensas únicas (difíceis de conseguir de outra forma); f) fazer um vídeo matador (curto, que explique o porquê ―razões e emoções― de você querer realizar aquele projeto).

Enfim, todo autor de projeto tem que se vestir de empreendedor, mesmo que cultural, para conseguir fazer um projeto de crowdfunding acontecer. O site ajuda (principalmente na organização dos pagamentos, em gerar credibilidade), mas o autor do projeto é o grande responsável por concretizá-lo.

5. O Catarse já está no ar faz algum tempo. Quais os erros mais comuns cometidos pelos projetos que não são aprovados para veiculação no site?

Luís ― Achar que pessoas desconhecidas vão contribuir com o projeto logo de cara. Primeiramente, o autor do projeto tem que trazer gente que já confia nele ou no seu trabalho para apoiar o projeto. Para um desconhecido, é muito mais fácil apoiar um projeto depois que 40 ou 50 pessoas já contribuíram.

Daniel ― Nesse mesmo ponto, algo a ressaltar é que, não necessariamente, a campanha deve começar no dia em que o projeto for ao ar. Se o projeto não possui Twitter, página no Facebook, talvez valha a pena ele começar isso 1 ou 2 meses antes do projeto ir pro ar, pra criar um público interessado naquela causa. A afobação em colocar um projeto no ar e captar dinheiro logo em seguida não é algo bom.

Fazer um bom vídeo também é um diferencial. Geralmente os projetos que ficam em destaque no site são aqueles que possuem uma boa qualidade do vídeo (sabemos isso porque são projetos que viram referência para nós e para outros futuros projetos). Percebemos que é um diferencial o projeto estar em destaque no site e que a maioria dos projetos que não foram bem-sucedidos não tinham vídeos maravilhosos.

Diego ― colocar mais de um projeto do mesmo autor no ar ao mesmo tempo também é algo que agora nos parece negativo. Isso aconteceu com um autor, onde os projetos ficaram basicamente pelo mesmo período no site. Por mais que os projetos não fossem estritamente iguais, é possível que algumas pessoas da rede dele tenham resolvido apoiar só um dos dois projetos, sendo que o dinheiro acabou repartido para os dois e nenhum foi financiado. Agora, nós não autorizamos que um autor coloque dois projetos ao mesmo tempo no site.

6. Vocês analisam a adequação dos valores solicitados com o gasto estimado do projeto? Existe alguma exigência ou orientação neste sentido para os candidatos?

Luís ― Quando há uma discrepância muito grande entre o valor pedido e o que a pessoa está se propondo a fazer, a gente interfere. Existe uma orientação. Escrevemos um post para quem pretende colocar um projeto no site, para que a pessoa verifique se estimou todos os custos do que precisa captar.

Diego ― A gente também barra o projeto que requer um valor muito alto e que seria inviável para financiar via crowdfunding atualmente (já que o mercado ainda é pequeno). Ainda mais se o dono do projeto não tiver uma rede muito grande para financiar o seu projeto.

7. O colaborador pode acompanhar no Catarse o andamento dos projetos que foram bem-sucedidos na arrecadação de fundos?

Diego ― O autor do projeto tem um espaço de atualizações (que funciona como um blog) onde ele pode postar novidades sobre o andamento dos projetos. Mas existem autores que preferem continuar essa comunicação via e-mail. É uma escolha deles. A gente não exige nada, mas estimula que esses canais de comunicação sejam utilizados, já que os apoiadores do projeto são pessoas importantíssimas não só por terem financiado aquele trabalho, mas por ajudarem na divulgação dele. E, lógico, também é uma grande satisfação para quem apoiou um projeto saber que ele está acontecendo de verdade.

Um exemplo bacana é a forma que o Ajude um Repórter, projeto financiado pelo Catarse, utiliza essa ferramenta para se comunicar sobre as recompensas, com seus apoiadores.

8. Há alguns meses, Francis Ford Coppola deu uma entrevista ao site 99 percent dizendo: "Talvez os estudantes estejam certos. Deveria ser legal o download de músicas e filmes. Eu sei que vou ser fuzilado por dizer isso. Mas quem disse que arte deve custar dinheiro? Consequentemente, quem disse que artistas devem ganhar dinheiro com a arte?". Qual a posição de vocês, do Catarse, quanto a esta questão da distribuição pela internet de conteúdo protegido por direitos autorais? O Coppola estaria exagerando só porque consegue viver há muito tempo do lucro de uma vinícola em vez do que poderia conseguir com o cinema?

Diego ― Somos a favor de que, se o artista achar que seu trabalho deve ser protegido por direito autoral, ele deve ter essa opção. Acredito que não deva haver ninguém obrigando a dizer que um lado é certo e que o outro é errado. Mesmo assim, a gente acredita que é muito mais inteligente o artista distribuir de graça o conteúdo do seu trabalho, e ser remunerado por serviços. Uma banda que disponibiliza seus CDs de graça na internet, mas ganha dinheiro lotando casa de shows talvez seja o modelo ideal. E isso não é de hoje, né? O The Greatful Dead fez isso durante 30 anos.

Daniel ― Aliás, a gente não só acredita nisso como aplica na prática. O próprio software do Catarse é open source. Após o site ter sido desenvolvido, disponibilizamos ele para que qualquer pessoa no mundo possa desenvolver seu próprio site de crowdfunding. Pode parecer contraproducente, liberar de graça um trabalho de alguns meses que os concorrentes podem usar. Mas consideramos que isso seja mais do que benéfico. Em vez de nos preocuparmos com os concorrentes, tem agora um monte de gente boa mundo afora ajudando a construir um software ainda melhor. E o Catarse passou a ser conhecido internacionalmente por essa iniciativa pioneira.

9. A discussão do momento é a Lei Rouanet. Com a controvérsia sobre a tentativa de aprovação de fundos para o blog da Maria Bethânia, se algum artista consagrado aparecer com um projeto para o Catarse, vai ser aprovado para contribuições dos visitantes?

Luís ― Desde que o projeto passe pela nossa curadoria, sim, sem problemas. O objetivo do Catarse é que mais projetos possam acontecer de forma independente. E o dinheiro aqui não está sendo deslocado do governo, mas sim de pessoas que querem ver aquele projeto acontecer e de interagir com ele, independentemente de o autor do projeto ser alguém consagrado nacionalmente ou não. Pode ser que o artista queira realizar um projeto de uma maneira mais independente ou também que ele queira ter um vínculo mais direto com o público, duas boas razões para ele colocar um projeto para captação via crowdfunding.

10. Para terminar... Financiamento público ou privado para a cultura? Vocês acreditam que o Estado deve interferir patrocinando qualquer artista? É justo que num País onde se formam tantos analfabetos funcionais todo ano, o Estado abra mão de parte dos tributos para pagar cachês milionários, muitas vezes para quem já ficou rico com a música, cinema e afins?

Luís ― A gente acredita que um Estado menos intervencionista é melhor não só para a cultura como para toda economia. E, assim sendo, que o investimento seja mais bem pensado, o que pra mim seria fomentar atividades que gerem projetos artísticos sustentáveis (que não fiquem necessitando de financiamento público eternamente).

Daniel ― Pra mim parece muito mais interessante que as pessoas possam definir o que deve ser financiado ou não. Acho que a diversidade de trabalhos que seriam executados dessa forma seria interessantíssima. E também vejo isso muito alinhado com um movimento de empreendedorismo no setor cultural que vem emergindo nos últimos anos, o que é importante. E as plataformas de crowdfunding são ótimas ferramentas para colaborar com isso.

Luís ― É incrível ver que alguns projetos no Catarse aconteceram porque várias pessoas ficaram encantadas por uma história, um trabalho, e se dispuseram a apoiá-lo financeiramente. Incentivar esse tipo de iniciativa nos parece mais democrático, transparente e ainda gera um valor maior pra todo mundo.

Para ir além

Catarse

Vicente Escudero

Campinas, 6/6/2011

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Imagens Urbanas, Teófilo Otoni no século XX

fotoO Instituto Joaquim Sadi Ribeiro na pessoa de seu presidente, Guilherme Câmara, nos propôs esta sessão extraordinária. Desde já o agradecemos, pois teremos a oportunidade de uma visão de única da cidade na primeira metade do século XX, fundamental para a reflexão sobre Teófilo Otoni.

A exibição de um filme inédito composto a partir de imagens da cerimônia de Corpus Christi em Teófilo Otoni (década de 40), da construção do Cine Metropole (década de 50).

Amanhã, sábado (25), em uma sessão exclusiva para o nosso cineclube. Teremos também uma conversa sobre cineclubismo.

foto (2) foto (1)

Aguardamos todos lá.


DIA: 25 de junho (amanhã)

HORÁRIO: 20h:00min

LOCAL: Estação Doce Maria

ENDEREÇO: Av. Getúlio Vargas, 1010 – Centro – a entrada será pela Rua Dr. João Antônio, 50 (em frente à UETO).

CONTATOS: contato@mucurycultural.org, 33-8886-4097 e 33-9917-6509.

Teia Cultural Minas - Nº 18 - 24 de Junho de 2011 - Ano VII‏

image004 

Cabeçalho: Viva São João! 24 de junho. Arte: Alberto da Veiga Guignard 

O Teia Cultural Minas é o boletim eletrônico da Representação Regional do Ministério da Cultura em Minas Gerais.

A RRMG também está no Twitter. Siga o @mincmg pelo endereço http://twitter.com/mincmg e fique informado com os nossos tweets. Acesse também o nosso blog http://www.cultura.gov.br/site/categoria/representacoes-regionais/regional-mg/.


MINISTÉRIO DA CULTURA INFORMA:

Ordem do Mérito Cultural 2011

O Ministério da Cultura iniciou no dia 21/06 o prazo para a inscrição das propostas de indicação à Ordem do Mérito Cultural para o ano de 2011. O tema central da celebração desta edição será Pagu- Sonho-Luta-Paixão em homenagem a Patrícia Rehder Galvão, conhecida pelo pseudônimo de Pagu, escritora e jornalista brasileira que teve grande destaque no movimento modernista iniciado em 1922. Criada em 1995, pelo Ministério da Cultura, a Ordem do Mérito Cultural é o reconhecimento do Governo Federal a personalidades, grupos artísticos, iniciativas e instituições que se destacaram por suas contribuições à Cultura brasileira.

As indicações podem ser enviadas para o site do Ministério da Cultura até o dia 22 de julho. Leia Mais!

Festival Europalia

O lançamento da 23ª edição do Festival Europalia, que aconteceu nesta terça-feira (21), em Bruxelas, dedicado neste ano ao Brasil, mostrou a consolidação de uma nova postura com que o país se apresenta no cenário internacional, de um lado, e, de outro, a chance de se requalificar a visão que os europeus têm do Brasil. Isso, na opinião dos próprios anfitriões. Saiba mais...

Mercosul Cultural

A ministra da Cultura do Brasil, Ana de Hollanda, estará em Assunção, neste sábado (25), para participar da XXXII Reunião de Ministros da Cultura do Mercado Comum do Sul (Mercosul). Na reunião deste sábado, será apresentado aos ministros o relatório sobre o II Encontro da Nação Guarani, realizado de 24 a 26 de março, deste ano, na comunidade indígena Paî Tavyterâ de Jaguati, departamento de Amambay, no país paraguaio.  Participaram do evento, diversos representantes de comunidades e organizações da Nação Guarani do Brasil, Argentina, Bolívia e Paraguai. Mais informações, clique aqui!

Brasil recebe prêmio por conjunto de obras cenográficas no 12ª Quadrienal de Praga

Brasil recebe a Triga de Ouro, na Quadrienal de Praga. O país participa de quatro mostras do evento que acontece até o próximo dia 26 na capital Tcheca. A Triga de Ouro é concedida ao país, pelo conjunto de sua participação. Esta é a segunda vez que o Brasil é premiado como a melhor representação. A primeira vez foi em 1995.

A nova edição da Quadrienal propõe aos participantes refletir sobre os questionamentos impostos pela contemporaneidade. O que é o espaço cênico? Um local propositalmente construído para a encenação? Um mundo virtual? Ou qualquer lugar usado criativamente para a performance? As exposições  exploram a ideia da cenografia como arte provocadora e autônoma, que se estabelece na fronteira entre múltiplas linguagens. Não à toa, a curadoria internacional decidiu trocar a nomenclatura do evento de “Exposição Internacional de Cenografia e Arquitetura Teatral” para “Espaço e Design Cênico”. Além da Triga de Ouro, a peça BR-3 de Antonio Araújo, do Grupo Teatro de Vertigem foi considerada a melhor produção teatral do mundo inteiro dos últimos cinco anos, pela inovação de usar a cidade como espaço cênico.  Leia mais!

Cultura do Trabalhador

Promover condições de acesso do trabalhador à cultura no próprio ambiente de trabalho. Esse é principal objetivo do projeto Cultura no Mundo do Trabalho, elaborado pelo MinC, e apresentado nesta terça-feira (21) por representantes do Ministério da Cultura a instituições sindicais representantes dos trabalhadores rurais e urbanos durante realização da oficina Cultura no mundo do trabalho, em Brasília. O projeto visa ampliar a relação com os movimentos sociais e novos públicos, integrando ações como os Pontos de Leitura e o Cine Mais Cultura dentro das atividades laborais e envolve as Secretarias de Cidadania Cultural, de Identidade e Diversidade Cultural e da Economia Criativa (em processo de criação), a Secretaria do Audiovisual e a Fundação Biblioteca Nacional, além de estabelecer uma relação interministerial para desenvolver as ações. Para saber mais, clique aqui!

Cooperação Internacional

O diretor-geral de Patrimônio Cultural, Marcos Michel López, e a diretora-geral de Promoção Cultural e Artística, Vanessa de Britto, ambos do Ministério de Culturas da Bolívia, estiveram em Brasília durante quatro dias. A visita dos bolivianos faz parte do projeto Intercâmbio de Experiências e Conhecimentos para a Gestão das Culturas. O objetivo do projeto é intensificar o intercâmbio de conhecimentos sobre gestão das culturas entre os dois países, para a construção de uma estratégia conjunta de promoção e proteção da diversidade cultural do Brasil e da Bolívia, incluindo suas heranças comuns. Saiba mais!

V Encontro Ibero-americano de Museus

Os países ibero-americanos atuarão de forma integrada para combater o tráfico ilícito de bens culturais musealizados.O tema foi debatido no V Encontro Ibero-americano de Museus – Preservação do patrimônio museológico, repatriação de bens e cooperação internacional, realizado de 8 a 10 de junho na Cidade do México. No encontro, representantes de 17 nações da Ibero-américa(entre elas, o Brasil, representado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC)definiram ações para aproximar suas políticas de cooperação regional no âmbito da preservação do patrimônio museológico. Saiba mais!

Criada a Federação Ibero-Americana de Circo (FIC)

Fundada com foco em se tornar um novo sujeito histórico para trabalhar pelo fortalecimento do circo como expressão artística, levando em conta suas dimensões simbólica, social, educativa e econômica, a Federação Ibero-Americana de Circo (FIC) assume como parte dos seus desafios: criar espaços de intercâmbio, desenvolvimento e consolidação de metodologias inovadoras de formação para as artes cênicas circenses; fomentar e incrementar a circulação e produção artística dos circo ibero-americano como estratégia para ampliar a visibilidade e a formação de plateias; e fortalecer o desenvolvimento organizacional de cada um dos seus membros, visando aumentar as suas capacidades individuais e coletivas para incidir em políticas públicas locais e internacionais.

Conheça um pouco mais do trabalho das organizações circenses que integram a Federação Ibero-Americana de Circo (FIC) clicando nos links a seguir: CIRCO SOCIAL DEL SUR (Argentina); EL CIRCO DEL MUNDO (Chile); CIRCO PARA TODOS (Colômbia); CARAMPA (Espanha); LA TARUMBA (Peru); CHAPITÔ (Portugal); CRESCER E VIVER (Brasil).


MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA:

Revelando os Brasis IV leva cinema para ruas do país

Quarenta vídeos feitos a partir de histórias contadas por moradores de pequenas cidades brasileiras serão exibidos em telas de cinemas instaladas em ruas e praças de várias partes do país nos meses de junho e julho. As sessões abertas e gratuitas integram a quarta edição do Circuito Nacional de Exibição do Revelando os Brasis e poderão ser acompanhadas através do site www.revelandoosbrasis.com.br. A iniciativa é uma realização do Instituto Marlin Azul, com patrocínio da Petrobras e parceria estratégica da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.

ENECULT 2011

O Encontro de Estudo Multidisciplinares em Cultura (Enecult) acontecerá esse ano em Salvador/ BA, no período de 3 a 5 de agosto de 2011. O evento promove a interlocução entre centenas de pesquisadores, professores, estudantes universitários e profissionais vinculados ao campo cultural, através da exposição de estudos em cultura realizados no país e na Ibero-América, nas mais diversas áreas do conhecimento. As inscrições para participação do evento estão abertas até o dia 30 de junho. Para mais informações, acesse: www.enecult.ufba.br


FUNARTE/MG

Grupo Dois Pontos - Espetáculo: IT

Duas mulheres, em um espaço/tempo indeterminado, falam ao público sobre suas visões de mundo, anseios e experiências. Os limites da comunicação, a solidão, a revolta contra a morte, a palavra poética e a tentativa de apreensão do tempo são os temas que permeiam essas falas, carregadas de um humor histérico. Inspirado em Água Viva, de Clarice Lispector, e em obras de outros autores.

Data: 16 a 26 de Junho

Horário: Quinta a sábado às 20h; domingo às 19h

Classificação: 12 Anos

Ingressos: R$10,00 (inteira), R$5,00 (meia entrada)

Programa Arte em Foco - Cultura Afro-Brasileira e Artes

Com o tema Cultura Afro-Brasileira e Artes, o Programa Arte em Foco, dá início a  3ª Edição do ciclo de palestras. A conversa começa com o Professor da USP, Vagner Gonçalves da Silva,  doutor em Antropologia. Na palestra, ele apresentará uma introdução à formação das religiões afro-brasileiras a partir das principais vertentes que as geraram: africana, catolicismo popular e religiões indígenas, privilegiando os dois modelos mais conhecidos: o candomblé e a umbanda. Em seguida, propõem um diálogo dessa religiosidade com algumas esferas da cultura nacional, privilegiando o campo das manifestações artísticas, como a música popular brasileira, as danças e festas populares, a literatura e artes plásticas.

Rui Moreira  irá performar sobre o tempo e a repetição como modo de perpetuação  dos mitos. A intenção é instigar reflexões sobre o tema – religiões afro-brasileiras na sociedade contemporânea.

De 27 a 29 de junho, das 19 às 22hs.

Inscrições gratuitas/vagas limitadas.

Informações: 31-3213 7112

Os interessados devem enviar: nome completo, breve currículo, telefone para contato, para: arteemfoco.funarte@gmail.com


PROGRAMAÇÃO CULTURAL - MINAS GERAIS


BELO HORIZONTE 

Prefeitura de Belo Horizonte convoca reunião pública

A Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura, convoca para a reunião pública que terá os seguintes pontos de pauta:

. Apresentação do Edital que regulamenta o processo de eleição do Conselho Municipal de Cultura;

. Escolha de representantes da sociedade civil para compor a comissão eleitoral.

Data: 28 de junho de 2011, às 19h

Local: Teatro Marília - Av. Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia

Informações: 31 - 3277 6320 ou 3277 4157

Eleição da Comissão Municipal de Incentivo à Cultura - Cadastre-se!

Está aberto o processo de cadastramento de Eleitores e Candidatos para a eleição da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura/CMIC

Inscrições: de 6 a 30 de junho

Local: Fundação Municipal de Cultura

Rua Sapucaí, 571 - Floresta

Formulários no link: www.pbh.gov.br/cultura

Museu das Minas e do Metal divulga balanço do 1º ano de abertura ao público

O Museu das Minas e do Metal (EBX) – Circuito Cultural Praça da Liberdade – comemorou no dia 22/06, quarta-feira, o primeiro ano de abertura ao público, com a divulgação do balanço dos últimos 12 meses, número de visitantes e perfis de público

Localização: Praça da Liberdade, s/ nº - Prédio Rosa

Belo Horizonte, MG, Brasil, CEP: 30140-010

Tel.: (31) 3516-7200 / 7207

email: contato@mmm.org.br

Romeria del Rocio – 20 anos!

O evento que já integra o calendário oficial de festas da capital mineira, é realizado no Brasil – nesta cidade - pelo artista-plástico e flamencólogo espanhol Carlos Carretero e pela ‘bailaora e  maestra’ Fátima Carretero e leva às ruas a tradição andaluza da padroeira ‘Virgen Del Rocio’ – La Paloma Blanca.

A grande festa terá início com a concentração na Praça Floriano Peixoto - Bairro Santa Efigênia, onde homens e mulheres vestidos ao estilo andaluzo desfilam pela cidade em carroças ornamentadas com muitas flores.  Ao ritmo de pandeiro, castanholas e muita dança típica, a Romería segue, louvando à Virgem, cuja veneração na Espanha se compara à fé em Nossa Senhora Aparecida, no Brasil. Durante toda a caminhada, serão arrecados alimentos não-perecíveis, materiais de construção, cobertores e roupas que serão doados à Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte.

Belo Horizonte tem o título de ‘Cidade Irmã’, concedido pela Prefeitura de Granada, com o objetivo de promover o intercâmbio cultural entre as duas cidades, divulgando a capital mineira nas terras da Andaluzia. A Romería também celebra essa irmandade e, em sua chegada prevista para às 13h, no quarteirão em frente á sede da Escuela Flamenca Los Del Rocio (Rua Antonio de Albuquerque, 290 – esquina com Rua Rio Grande do Norte  – Savassi – BH – MG), dá sequência à festa  com  comidas típicas (Tortillas, Paella, Sangria, Vinhos),  bailes folclóricos,  solos de flamenco e shows musicais gratuitos, até às 22h.

Belo Horizonte, 02 de julho, sábado

Concentração: à partir de 9h30 na Praça Floriano Peixoto (Santa Efigênia)

Saída: 10h30, pela  Av. Brasil

Parada: 12h - Praça da Liberdade - a Romería prossegue às 12h30 pela Av. Cristóvão Colombo

Chegada: 13h - Antônio de Albuquerque em frente ao número 290 – Savassi

PARTICIPAÇÃO LIVRE

21ª Mostra de Trabalhos da Escola de Teatro PUC Minas 

Escola de Teatro PUC Minas apresenta a 21ª Mostra de Trabalhos de Final de Curso. A temporada começa com o espetáculo "Passará", dias 17, 18 e 19 de junho, direção de Cynthia Paulino, seguida pelas montagens "Morte Acidental de um Anarquista", nos dias 21 e 22 e "Rei Lear", dias 24, 25 e 26, as duas peças dirigidas por Luiz Arthur.

Nos dias 28, 29 e 30 de junho será apresentado o espetáculo "Doce Deleite", dirigida por Dulce Beltrão e Bueno Rodrigues.  Em julho, dias 2, 3 e 4, "Cobaias Off", direção de Cynthia Paulino e encerrando a Mostra, "A Hora da Estrela", dias 8, 9 e 10, direção de Jefferson da Fonseca Coutinho.

Os espetáculos serão apresentados às 20h, no Espaço Cultural da Escola de Teatro PUC Minas, que fica na Rua Sergipe, 790 – Funcionários.

O ingresso é 1kg de alimento não perecível.

Mais informações pelo telefone (31) 3269-3260.

MoviMente - Encontro de Hip Hop no Centro Cultural Salgado Filho

O evento será uma congregação de muitos grupos e interessados em geral que irão disfrutar de uma programação variada: Oficina de Dança de Rua - com Helhão do Rap; Oficina de Rap - com Rosy e Edd do Grupo Verdade Seja Dita; Cinema: Falcão - Meninos do Tráfico - do rapper MV Bill - com comentários da especialista Fernanda Chaves; Palestra-show com MC Ice Band, Crime Verbal e Elemento.S e Sarau MoviMente.

Dias 23 de junho, quinta (feriado), 24 de junho, sexta e 25 de junho, sábado

Local: Centro Cultural Salgado Filho - Rua Nova Ponte, 22 - Salgado Filho - tel.: 31-3277 9625

Exposições de arte na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa.

Ø Jean Paulo Oliveira Lopes aquarelas “Amanara” prorrogação até o dia 28/07/2011

Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães.

Local: Praça da Liberdade, 21 - Funcionários, Belo Horizonte, MG

Ø Estandartes bem imaterial de Guarani MG. Acervo da Secretaria Municipal de Cultura de Guarani MG.

Abertura da exposição dia 04/07/2011 as 19:00 horas.

Passarela Cultural.

Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa – Anexo Professor Francisco Iglesias.

Local: Rua da Bahia, 1889 - Funcionários,  Belo Horizonte,  MG

Horário de funcionamento de segunda a sexta-feira de 8:00 as 20:00 horas e aos sábados de 8:00 as 13:00 horas.


CONTAGEM

O Fórum Popular de Cultura convida artistas, produtores e gestores culturais para participar da Tribuna Livre, na Câmara Municipal de Contagem. O Fórum pretende solicitar um maior comprometimento dos parlamentares quanto às Políticas Públicas de Cultura no município, pensando em garantir à população de Contagem o direito ao acesso e fruição dos bens culturais, por meio dos serviços públicos, possibilitando à que todo habitante da cidade se reconheça como sujeito cultural,  e incentivando a participação de todos na  criação e nas esferas de decisões públicas sobre a cultura, por meio de conselhos e fóruns deliberativos.

A mobilização acontece na terça-feira, dia 28/06, a partir das 9 horas da manhã, na reunião plenária da Câmara Municipal de Contagem.


MARIANA

Exposição “Cerâmicas” de Iuri Chacham no SESI-Mariana

Nesta mostra individual, Iuri apresenta potes em desenhos únicos modelados no torno. Sua busca na modelagem é pelo pote exclusivo, sem repetição. A técnica de queima empregada reforça essa busca.  A técnica surgiu em Bizën, Japão e leva o nome da região de origem. Ela consiste em uma queima longa de quatro dias à lenha em um forno cujas dimensões são as mesmas daqueles empregados na região de Bizën. Em Minas Gerais existe apenas o forno da ceramista Erli Fantini onde foram queimados os potes.

As peças são colocadas no forno sem pintura e cruas. Como intervenção apenas alguns amarrados de palha-de-arroz salgadas que vitrificam, deixando suas marcas. O forno é feito de tal forma que se deposita muita cinza sobre as peças. Assim, o fogo completa o trabalho inusitado deixando marcas sobre as peças. Por isso o artista se surpreende sempre com o resultado na abertura do forno.

Visitação: De 07 a 30 de junho de 2010, 9 às 19h, de terça a domingo

Galeria SESI-Mariana - Rua Frei Durão, 22 – Centro – Mariana/MG

Entrada Franca

Informações: (31) 3557-1041

Concerto Especial ao Órgão da Sé de Mariana no feriado de Corpus Christi

24/06 – sexta-feira – 11h30 - Heinz Schwebel (trompete) e  Elisa Freixo (órgão)

26/06 - domingo  - 12h15 - Heinz Schwebel (trompete) e  Elisa Freixo (órgão)

Os Concertos Regulares do Órgão Arp Schnitger acontecem às sextas-feiras, às 11h30, e aos domingos, às 12h15, na Catedral da Sé em Mariana/MG. Ingressos a partir de R$ 18,00. Para agendar grupos e ter mais informações, entre em contato pelo telefone  (31) 3558-2785  ou pelo e-mail orgaodase@uai.com. O site do projeto de concertos é http://www.orgaodase.com.br/


MARLIÉRIA

Arraiá Jacroá

Comidas típicas e muito forro com apresentação de quadrilhas locais, Banda Jabamba e Quadrilha São Mateus

25 de junho 2011 - Sábado - a partir das 19h

local: Parque de Exposições de Marliéria

Informações: Secretaria de Turismo de Marliéria - (31) 3844 1305


NOVA LIMA

Exposição "Tarsila e o Brasil dos Modernistas"

A exposição Tarsila e o Brasil dos modernistas reúne obras que apresentam visões singulares de paisagens, tradições e tipos brasileiros. (...)  os trabalhos selecionados foram agrupados por temas e procuram traçar um panorama de tentativas de representação visual de um país territorialmente vasto e culturalmente heterogêneo, como o Brasil.

Período da exposição: 10 de maio a 10 de julho

Local:  Casa Fiat de Cultura - Rua Jornalista Djalma de Andrade, 1250 - Belvedere - Nova Lima.

Para maiores informações, acesse aqui! ou (31) 3289 8900


OURO BRANCO

Festival de inverno de Ouro Branco

Tradicionalmente, o inverno traz às Minas Gerais mais que o frio. A chegada da estação representa o início de festivais pelo interior do estado. Abrindo a temporada de 2011, o Festival de Inverno de Ouro Branco (FIOB) oferece uma programação que passa pelas mais diversas manifestações de arte. O erudito e popular se encontram sob o tema central: “Transversalidade”. Música, teatro, cinema, dança e artes plásticas compõe a programação do FIOB. Situada a cerca de 100km de Belo Horizonte, a cidade de Ouro Branco, que realiza o Festival desde 2006, já foi palco de grandes nomes da música brasileira. Em 2011 não será diferente. A cantora Maria Bethânia abrirá a programação, com o espetáculo “Bethânia e as palavras”. 

1º a 10 de Julho de 2011

Programação de Espetáculos Gratuita

Taxa de inscrição para oficinas: R$10

Município de Ouro Branco – Estrada Real – 95 km de Belo Horizonte

Árvore de Comunicação - (31) 3194-8704 | (31) 3586-2346


OURO PRETO

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­2º Encontro de Arte/Educação de Ouro Preto   ­

Tema:  “Ver – Fazer – Fruir Arte”

O evento tem o objetivo de discutir e analisar práticas da Arte/Educação no ensino formal e não-formal, através de palestras, debates e comunicações. Constitui-se como mais um lugar do fazer científico, onde pesquisadores possam apresentar seus trabalhos e trocar experiências sobre o desenvolvimento da Arte/Educação no Brasil.

Data: 13 e 14 de Julho de 2011

Local: Salão São João Del Rey -Parque Metalúrgico Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto - UFOP -  Ouro Preto, Minas Gerais

Outras informações: 31- 3559 1731


PARÁ DE MINAS

Abertas as inscrições para a I Mostra de Cenas Curtas e Teatro e Dança de Pará de Minas

O evento é aberto a artistas de Pará de Minas e região e tem como objetivos: estimular a criatividade dos estudiosos em artes cênicas, valorizar e incentivar a prática da dança como forma de expressão e cultura, estimular a produção cultural e promover a visibilidade das artes produzidas em na região centro-oeste.

Para efetuar as inscrições os interessados devem ler atentamente o regulamento e preencher uma ficha de inscrição disponível na Casa de Cultura (Praça Torquato de Almeida, 26, centro, Pará de Minas, CEP.: 35660-041, telefone: 37-3231-7780) ou no site da prefeitura de Pará de Minas. Após o preenchimento, enviar a ficha ao endereço acima descrito, até o dia 29 de julho de 2011.


POUSO ALEGRE

Concerto com a Orquestra de Pouso Alegre

Dia 26 de Junho - 20h

Teatro Municipal  de Pouso Alegre

http://conservatoriopa.blogspot.com/


UBERABA

Fundação Cultural promove concerto de Arthur Moreira Lima

A Fundação Cultural e a Prefeitura de Uberaba promovem uma apresentação do pianista Arthur Moreira Lima em sua turnê do projeto “Um Piano pela Estrada”.  “O projeto leva música, universal e brasileira, a uma população que dificilmente teria acesso a esse tipo de manifestação, fortalecendo nossa identidade, imprescindível para a dignidade de uma nação”, afirma o pianista. A abertura do concerto contará com a participação da Orquestra Jovem do Colégio Tiradentes.

A apresentação acontece na sexta-feira (24/06), a partir das 19h, na Praça do 4º BPM,  com entrada franca.


EDITAIS NOVOS

EDITAL PROGRAMA MAIS CULTURA - BOLSA DE COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA PARA AGENTES DE LEITURA

A Secretária Municipal de Educação de Belo Horizonte no uso de suas atribuições e em parceria com o Ministério da Cultura, através da Secretaria de Articulação Institucional – SAI, Diretoria de Livro, Leitura e Literatura - DLLL, torna público, para conhecimento dos interessados, o presente Edital que regulamenta o processo de inscrição, seleção e concessão de bolsas de complementação de renda relativas ao Projeto “Agentes de Leitura”.

Os candidatos interessados em concorrer às bolsas oferecidas neste Edital deverão se inscrever, gratuitamente, no período de 13/06/2011 a 29/06/2011, em formulário próprio disponibilizado no site da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte (www.pbh.gov.br). Maiores informações: Ismayr Sérgio Cláudio/ Coordenador de Projetos Especiais da Educação/ Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte/32778724.

“1, 2 NA DANÇA” abre inscrições para edital 2011

Estão abertas as inscrições para o edital de participação na oitava edição do projeto “1, 2 na Dança”, a ser realizado de 14 a 25 de setembro, nos Teatros Alterosa e Klaus Viana Oi Futuro, em Belo Horizonte. O “1,2 na Dança” é uma mostra de solos e duos que pretende mostrar como se orientam os criadores que hoje trabalham dentro desse formato. Podem participar artistas e profissionais com trabalhos coreográficos de dança contemporânea. A ficha de inscrição está disponível no site http://www.umdoisnadanca.com.br/#/Apresentação e deve ser entregue até 18 de julho, juntamente com release, ficha técnica completa, breve currículo dos principais artistas envolvidos, necessidades técnicas e DVD de apresentação do trabalho. O material deve ser enviado para o endereço Rua da Bahia, 1148, sala 1708, Centro – BH/MG – CEP 30.160-906. Serão aceitos materiais postados pelo correio até a data limite.

Prêmio Casa de Rui Barbosa 2011 - FCRB/MinC abriu edital que premiará monografias sobre a instituição

A Fundação Casa de Rui Barbosa, órgão vinculado ao Ministério da Cultura, publicou no Diário Oficial da União (Seção 3, página 12) o Edital do Prêmio Casa de Rui Barbosa 2011.  O concurso voltado para monografias é aberto para temas de livre escolha do candidato, devendo, contudo, ser referenciada aos acervos bibliográficos e arquivísticos da Fundação Casa de Rui Barbosa.

O prazo para a inscrição se encerrará no dia 23 de setembro de 2011, valendo como comprovação o carimbo dos Correios na data da expedição. Acesse aqui para obter maiores informações!


EDITAIS EM ANDAMENTO

Mostra de Vídeo 2011

O Museu Victor Meirelles com o objetivo de consolidar e difundir a produção audiovisual contemporânea lança a primeira edição do projeto EM CARTAZ Mostra de Vídeos 2011. A proposta é trazer ao público trabalhos que estimulem a reflexão acerca das possibilidades de expressão da linguagem audiovisual contemporânea. As inscrições serão recebidas até o dia 24 de junho de 2011.

O regulamento e a ficha de inscrição podem ser baixados em http://museuvictormeirelles.blogspot.com.

5º Festival de Arte Digital - FAD está com inscrições abertas

Podem se inscrever,  artistas do mundo inteiro que queiram apresentar seus trabalhos (ou ministrar oficinas e workshops) no Festival. Nesta edição, o FAD tem como tema a Arte Cinética, também conhecida como Cinetismo. Na Arte Cinética, o movimento constitui o princípio de estruturação das obras. Podem ser inscritas propostas para três áreas: FAD Performance A/V (shows audiovisuais); FAD Galeria (instalações audiovisuais interativas); e FAD Laboratório (Oficinas, Workshops).

As propostas inscritas serão avaliadas pelos curadores com base nos critérios de conceito artístico, interação, desenvolvimento tecnológico, custo e viabilidade de execução. O Edital contempla inscrições tanto de artistas individuais quanto de coletivos. As inscrições são gratuitas, e ficam abertas até 30 de junho, somente pelo site www.festivaldeartedigital.com.br.

Fundação Telefônica lança edital cultural
A Fundação Telefônica lança seu primeiro edital de patrocínio cultural em busca de novos projetos culturais voltados para crianças e adolescentes e vinculados às novas tecnologias através do programa de Arte e Tecnologia. A iniciativa tem por objetivo estimular a produção e difusão de projetos culturais e artistas, especialmente vinculados à cultura digital, inovadores em termos de linguagem, interatividade, criatividade ou forma de distribuição de seus conteúdos. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de junho de 2011. Clique aqui para mais informações.

Preservação do Patrimônio Cultural
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) está com inscrições abertas para o 24º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. O concurso tem abrangência nacional e pretende selecionar trabalhos de preservação do patrimônio cultural. Pessoas físicas ou jurídicas podem enviar propostas, até o dia 08 de julho, para superintendências estaduais do Iphan, instaladas nas 27 unidades federativas do país. O Prêmio está dividido nas categorias de Promoção e Comunicação, Educação Patrimonial, Pesquisa e Inventário de Acervos, Preservação de Bens Móveis, Preservação de Bens Imóveis, Proteção do Patrimônio Natural e Arqueológico e Salvaguarda de Bens da Natureza Imaterial. Nesta edição, o concurso está inserido nas comemorações do Ano Internacional do Afrodescendente e homenageia o centenário de nascimento do artista plástico Caribé. Mais informações e endereço das superintendências aqui.

DOCTV América Latina III        

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Audiovisual (SAv/MinC), está recebendo as inscrições dos interessados em participar do 3º Programa de Fomento à Produção e à Teledifusão de Documentários Latino-americanos, DOCTV América Latina III. O edital do concurso foi publicado no Diário Oficial da União (Seção 3, páginas 14 e 15) desta segunda-feira (06).

As inscrições para o concurso, que selecionará um projeto de documentário que proponha uma visão original a partir de situações, manifestações e processos contemporâneos que ilustrem a diversidade cultural do Brasil, ficam abertas até o dia 14 de julho de 2011. Mais Informações, acesse aqui!

Funarte lançou Editais de ocupação nas áreas de teatro, música e artes visuais

A Fundação Nacional de Arte (Funarte), vinculada ao Ministério da Cultura, está recebendo inscrições de projetos de ocupação nas áreas de teatro, música e artes visuais. Os nove editais para a área de artes cênicas contemplam propostas das áreas de teatro, dança e circo.

O processo seletivo está aberto, até 15 de julho, à empresas e produtoras culturais de todo o Brasil e está destinado à ocupação de teatros, galpões e salas de espetáculos localizados em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.  Os interessados devem enviar à Funarte projetos com as programações para os espaços, que podem incluir apresentações de espetáculos, oficinas, debates, palestras e outras atividades ligadas à área de artes cênicas. Saiba mais...

Prêmio Vivaleitura 2011, inscrições até 20 de julho de 2011.

3ª edição do Festival Favela é Isso Aí - Imagens da Cultura Popular Urbana

Em sua terceira edição, o Festival Favela é Isso Aí - Imagens da Cultura Popular Urbana, organizado pela associação Favela é Isso Aí, tem como objetivo principal apoiar e divulgar a produção audiovisual que volta seu olhar para a cultura que se produz nas comunidades de baixa renda, vilas e favelas. Nesta edição o Festival pretende também desenvolver uma reflexão sobre a diversidade cultural das periferias, de Minas, do Brasil, de outros países, promovendo intercâmbio com outras iniciativas semelhantes em desenvolvimento. Inscrição até 31 de julho de 2011. Clique aqui para maiores informações.

Forumdoc.bh.2011

Estão abertas as inscrições para as mostras competitivas do forumdoc.bh.2011, 15° festival do filme documentário e etnográfico. As Mostras Competitivas Nacional e Internacional se propõem a mapear, exibir e divulgar trabalhos audiovisuais em variados formatos e durações, realizados nos últimos dois anos (2010-2011). Serão aceitos documentários de longa, média e curta-metragem, em cinema e/ou vídeo. As inscrições estão abertas até 19 DE AGOSTO DE 2011 no site <www.forumdoc.org.br/2011>.

Editais de convocação para inscrição no processo de avaliação e seleção de obras de apoio pedagógico para o Programa Nacional de Biblioteca da Escola  – PNBE DO PROFESSOR 2013

Este edital tem por objeto a convocação de editores para inscrição de obras de apoio pedagógico destinadas a subsidiar teórica e metodologicamente os docentes no desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem nos respectivos campos disciplinares, áreas do conhecimento e etapas/modalidades da educação básica.

Cadastramento de Editores e Pré-Inscrição das Obras: do dia 18/10/2011 até as 18:00 horas do dia 18/04/2012. Clique aqui!


EXPEDIENTE

Chefe da RR/MG: Cesária Macêdo - cesaria.macedo@cultura.gov.br

Editoração: Cesária Macêdo, Aparecida dos Reis – divulgacaomg@cultura.gov.br

Endereço: Rua Rio Grande do Sul, 940, Santo Agostinho - CEP: 30.170-111 - Belo Horizonte/MG (mapa)

Telefones: (31) 3293-5713 e (31) 3293-5796 - Fax: (31) 3293-8144

Atendimento geral: 2ª a 6ª feira – 9h às 18h

Atendimento Lei Rouanet: 2ª a 6ª feira - 09h às 12h e das 14h às 17h

Blog: http://www.cultura.gov.br/site/categoria/representacoes-regionais/regional-mg/

Twitter: http://twitter.com/mincmg